O feijão preto é rico em nutrientes como cálcio, ferro e fibras vegetais, além da proteína.

É frequentemente visto como parte de muitos pratos em restaurantes portugueses, mas ainda não é cultivado em grande quantidade no norte de Moçambique, porque a maioria das pessoas não está acostumada a comer feijão preto. Por outro lado, o seu preço é muito alto em alguns mercados locais.


Uma extensionista envolvida em actividades agrícolas com grupos de agricultores no distrito de Ngauma, em Niassa, notou pela primeira vez a importância do feijão preto em termos de nutrição, sua raridade, por essa razão, este feijão tem alto valor de venda no mercado de Ngauma.

Ela activamente apresentou o feijão preto às associações e promoveu a produção de sementes por meio de grupos de agricultores, com o apoio da DPASA. Como resultado, uma associação conseguiu vender feijão preto pelo dobro do preço do feijão comum e, assim, melhorou a renda dos membros. Além disso, várias associações começaram a produzir sementes de feijão preto, e muitos agricultores do distrito agora podem facilmente obter as sementes para expandir a sua produção.

Download PDF